Pesquisa personalizada

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

A Corda



A corda amarra,
Faz laço, e lança longe.

A corda acorda a moça,
E a moça grita, a corda salta.

E bate, a moça chora.

A corda enrola, e o desgosto,
Ela envolve o pescoço,
A moça grita e chora.

A corda puxa, a moça suspira,
E a corda sobe, e desce, e sobe, a moça morre.



(Poesia publicada no Blog GPS - Global Poets Society - Março de 2009)

6 comentários:

Graça Pires disse...

Um bom poema, mas tão triste...
Beijos.

Janaina Cruz disse...

Morre a moça, mas um dia o tempo mata também a corda, que acorda as dores, dos que ainda estão dispostos...
Teu versejar foi tão bonito que empolgou-me, passo a seguir teu blog com prazer...

Lau Milesi disse...

Bom dia, Ana!!! Lin-dís-si-mo... mas triste, sem dúvida.
Mas darei um outro final, se você me permite.
Aí vai: A corda puxa, a moça suspira,
E a corda sobe, e desce , e sobe,
e a moça se livra das amarras, dos nós da corda, e suspira aliviada. :)

Adorei vir aqui !
Muito obrigada por sua visita. Tenha uma linda noite de Natal, com paz, harmonia e alegria.
Beijosss

José Vitor disse...

Olá! Que lindo blog, que lindas palavras
Encontrei um cantinho, seremos amigos,
Seguir-te-ei, voltarei …
Se tiveres tempo passe pelo meu,

Boas festas de ano

Janaina Cruz disse...

Feliz natal e um ano novo cheio de boas coisas....

Camila Couto disse...

Nossa...esse poema revela o meu estado de espírito..

Presença!!