Pesquisa personalizada

quarta-feira, 21 de janeiro de 2009

Carlos Drummond de Andrade

As sem-razões do amor

Eu te amo porque te amo.
Não precisas ser amante,
e nem sempre sabe sê-lo.
Eu te amo porque te amo.
Amor é estado de graça
e com amor não se paga.

Amor é dado de graça,
é semeado no vento,
na cachoeira, no eclipse.
Amor foge a dicionários
e a regulamentos vários.

Eu te amo porque te amo
bastante ou demais a mim.
Porque amor não se troca,
não se conjuga nem se ama.
Porque amor é amor a nada,
feliz e forte em si mesmo.

Amor é primo da morte,
e da morte vencedor,
por mais que o matem (e matam)
a cada instante de amor.

18 comentários:

Barbara disse...

O amor é lindo.. ta neim sempre ca entre nós!
Eu jah matei o amor =D
Não deveria + matei!


http://milkshakedeestrelinha.blogspot.com

Anônimo disse...

Postei uma mensagem num poema de título Verlaine! Achei que era o texto atualizado. Ora, passei para desejar um feliz ano novo!
Continue! A vida não é tão bela quanto pregam nem tão vulgar quanto parece...
Beijos,
Francisco

L. Kerr disse...

Eu te amo porque te amo.

Ana Matias disse...

Oi Francisco! Quanto tempo hein??! Já estava sentindo falta das tuas visitas no meu blog!
Feliz Ano novo pra ti também e que a poesia te acompanhe durante todo esse ano!
Quanto aos francesses, tenho lido bastante o material poético de lá, já que eram eles que determinavam o movimento literário no mundo no século XIX, é bom conhecer as raízes e comparar o modo como foi aplicado pelos nossos escritores. E sempre tem algo bom para ser resgatado em nossas produções!
Fiquei contente com o comentário!
Beijão!

Conto atômico & cômico disse...

ô, muito obrigado meu velho!
fico agradecido.. e lisongeado com as palavras!
:)

seu blog é bacana tbm!!!

passarei mais vezes!
continue indo no meu tbm!
:)
abraço!

Nathália disse...

Olá, peço que, se possível, divulgue o site do poeta Ulisses Tavares (www.ulissestavares.com.br) em seu blog.
Mandando um email para nós você concorre a um livro por semana do escritor!
Desde já agradeço a gentileza.

Abraços!

Graça Pires disse...

Obrigada pela visita ao meu "Ortografia". Passarei a visitar o teu espaço . Um beijo.

Jaime A. disse...

Cada vez mais Carlos Drummond de Andrade é um dos poetas que mais me fazem estremecer.
Obrigado por nos trazer aqui mais uma das suas preciosas obras de arte.
Vou continuar a ser visita, sem dúvida!

:)

DESESTRESSA MANO disse...

belo, belo muito bom tudo que vi achei bom, parabens

abraços e sucesso

Nilson Barcelli disse...

O amor sem sentido de posse é ainda mais bonito.

Escrevi em tempos:
"Mesmo na sombra,
continuas a ter as cores do arco-íris
e a ser a minha flor:
existes em mim e sou feliz."

Bom fim de semana,
Beijos.

Anônimo disse...

Ana,
Que bom vc. estar percorrendo os franceses. Em certa medida - de vez que sou um diletante - entendo muito dos franceses. Estudei muito os românticos e os simbolistas. De Musset a Gautier, de Baudelarie da Rimbaud (que cito na abertura de meu livro). Sucesso!
Beijos,
Francisco

manzas disse...

Encontrei este blogue por acaso…
Gostei e voltarei, com certeza…

Há dias…
Em que acordamos chuvosos
Ensopados em saudades choradas
Sentimentais, românticos
Emotivos, fantasiosos…
Amarrados em manhãs geladas

O eterno abraço…

Nilson Barcelli disse...

Como não há novo post, deixo-lhe apenas o desejo de que tenha um bom resto de semana.
E um beijo.

Leandro Kerr disse...

Eu te amo e te amo !

Leonardo disse...

Drummond é de longe o meu poeta preferido. Ele consegue escrever de forma tão simples, acessível, e ao mesmo tempo tão sofisticada e extraordinariamente bela. Genial. Simplesmente genial.

Nilson Barcelli disse...

Cara amiga, um bom fim de semana para vc.
Beijo.

Elis Zampieri disse...

Oi Ana, conheci seu espaço através do Zé. Li alguns dos teus escritos no RPG, gostei daqui também!

Abraço.

Nilson Barcelli disse...

Acho que vc tem o blogue de férias e, provavelmente, a Ana também está de férias.
Se for o caso, espero que elas estejam a ser muito boas para vc.
Beijo.

Presença!!