Pesquisa personalizada

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Papo de Poeta com Jaime A.


Nome: Jaime A. (pseudónimo de Joaquim Sobral Gil).

Cidade/Estado/país: Lisboa/Portugal.

Formação: Engenharia Química.

Blog/sites que participa: www.soprodivino.blogspot.com ; www.gps-poetasdomundo.blogspot.com

Projetos atuais: manter a colaboração nos dois blogues acima.

Como a literatura começou a fazer parte de sua vida? 

- Tive um professor de Português no 3º ciclo que me despertou o prazer pelas Letras: o escritor/pintor/homem de cultura Mário Dionísio.

Quais motivos/autores/obras o levaram a se dedicar ao Universo Literário? 

- Os motivos passam pelo prazer da partilha; houve um autor que também me marcou definitivamente, por curiosidade um romancista não um poeta: Eça de Queiroz; houve também um livro que me marcou: "Viagens na minha terra" de Almeida Garrett.

Que perspectivas tens em relação a Literatura atual produzida em seu país? 

- Deve ser um dos poucos sectores que ainda não está em crise em Portugal... ;) há muito quem escreva (e bem): ensaístas, novelistas, poetas, romancistas. 

O que é poesia para você? 

- A poesia é, talvez, o situar-me no domínio do sentir, do estar; há também uma componente "exibicionista" por parte de quem escreve...

Qual mensagem procuras passar para seus leitores através de seus textos? 

- Não procuro passar mensagem alguma: apenas o que sinto, a busca da palavra, o "desfazer" dos nós que me habitam...

Como você acha que suas obras serão vistas daqui a cem anos? 

- Espero que alguém sinta que houve alguém que escreveu o que sentia...


Um lugar? A tranquilidade

Uma cor? Azul

Um autor? Eça de Queiroz

Um livro? Bíblia Sagrada

Amor? A mulher

Solidão? Quanto baste

Arte? Livros, música, pintura, escultura...

Um segredo? Ainda não cresci enquanto poeta

Ficção? A escrita de um poema

Realidade? Pôr a cabeça de fora

Que recado você gostaria de passar para os leitores do blog? 

- Não parem nunca de ler; sejam sôfregos, famintos; e, claro, vão passando pelo blogue da Ana Matias.


aguarela

agora era o tempo das cerejas,
das cores rubras ao sol,
do cheiro acre das folhas tenras,
dos bagos de suor brilhando,
das bagas em nesgas de luz;

talvez a Primavera
desse a mão ao Estio,
em jeito de seara prenha,
já inchada de papoilas;

o regato não restolhava,
não limava já as margens,
as canas dobradas à sede;

o Verão não buscava o Outono
[afinal];

(...) tão breve
o tempo da demora...



(publicado no meu blogue http://soprodivino.blogspot.com)

Referencio aqui alguns autores (entre parênteses está indicado o link que se encontra no meu blogue): Paula Raposo (as minhas romãs), Marés (marés de espanto), Menina Marota (menina marota), Moriana (moriana2), Blindness (onde me leva a corrente), Nilson Barcelli (Nimbypolis), Graça Pires (ortografia do olhar) e a tua compatriota Silvana Bronze (sussurros poéticos).


PS - quero deixar aqui uma ressalva. A minha oposição em relação ao Acordo Ortográfico nada tem de pessoal e contra o português do Brasil; muito pelo contrário, defendo a especificidade da língua falada e escrita em todos os PALOP's. Se assim não fosse, não teria o carinho e admiração que tenho por Jorge Amado, Carlos Drummond de Andrade (para mim, um dos maiores poetas da língua portuguesa) ou Mia Couto.

3 comentários:

Por que você faz poema? disse...

Esse acordo ortográfico ainda demorarei a acostumar-me, mas já vislumbro que será a forceps.

Graça Pires disse...

Gostei desta pequena entrevista com o Jaime. Já sabia que o seu amor pela poesia era autêntico. Quero agradecer-lhe ter referenciado o meu nome.
Um beijo para os dois e Boa Páscoa.

andreia disse...

Adorei seu blog...continue assim...bjinhos

Presença!!